quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Festa de Natal das crianças dos orfanatos em Marromeu e Luabo


Realizou-se 22 de Dezembro a Festa de Natal da Criança órfã e vulnerável em Marromeu. Participaram as crianças do Orfanato de Nhaminjale (Um Olhar de Esperança), RUAMA, Orfanato de Luabo e amiguinhos de Marromeu

Organizador da festa de natal das crianças 2011: Companhia de Sena

Portal de Sena acredita que o gesto muita diferença.

Agradecemos a todos que apoiaram

sábado, 24 de dezembro de 2011

Reserva de Marromeu: Caçadores furtivos põem em causa a fauna bravia

CAÇADORES furtivos idos de vários pontos do país, sobretudo da região centro e de países vizinhos, estão a multiplicar-se na Reserva de Marromeu, distrito do mesmo nome, em Sofala, perigando, por isso, a fauna ali existente, particularmente a população de búfalos.

Maputo, Sexta-Feira, 23 de Dezembro de 2011:: Notícias

Dos 12 casos reportados de Janeiro a Novembro, o mais recente e tido como bastante preocupante é o da apreensão de 16 elementos entre os quais alguns zimbabweanos que foram flagrados no interior daquela reserva em plena actividade de caça furtiva. Na altura já tinham abatido um búfalo.

O comandante distrital da Polícia da República de Moçambique (PRM), Pedro Manteiga, disse a-propósito que neste momento estão a ser desenvolvidas acções visando estancar a situação, embora não tenha avançado as estratégias para o efeito.

Manteiga explicou que nos casos em que os furtivos são surpreendidos com a carne para além da sua apreensão os infractores são encaminhados à Justiça para responderem pelos seus actos, incluindo junto das próprias entidades responsáveis, neste caso a Agricultura e Turismo.

‘’Para as situações consideradas graves como no caso dos surpreendidos recentemente, a Polícia abre processo-crime para o efeito de modo a que os implicados sejam também responsabilizados criminalmente’’- disse o comandante distrital da PRM em Marromeu.

Debruçando-se sobre o recente caso dos cidadãos surpreendidos no interior da reserva, a fonte explicou que na altura da apreensão para além de três viaturas também foi aprisionada uma arma de caça, cuja marca e calibre não foram revelados.

Entretanto, depois de cerca de quatro meses parqueadas no Comando Distrital da PRM aguardando pela tramitação do processo e consequente pagamento de multas pela infracção, as três viaturas foram entregues aos seus proprietários em resposta ao pedido endereçado para o efeito pelo director provincial de Turismo de Sofala.

‘’Este caso de furtivos na Reserva de Marromeu consideramo-lo como o mais grave de todos os que tomamos ocorrência ao longo do ano em curso, pelo menos até este momento’’- esclareceu Manteiga.

Instado se, para efeito terão sido cumpridas as formalidades sobretudo o pagamento das respectivas multas, aquele oficial da Polícia respondeu positivamente reafirmando que para além da referida carta emitida pela director provincial de Turismo, os implicados vão, certamente, responder pelos seus actos.

No entanto, informações apuradas pela nossa Reportagem no local indicam que o ‘’caso’’ em referência não mereceu o tratamento devido, ou seja, os furtivos recuperaram os seus meios sem que no entanto tivessem que pagar um único tostão segundo a Lei e o Regulamento da Fauna Bravia, que diz que o infractor não pode reaver os seus meios e equipamentos usados antes de pagar a multa e caso não pague estes revertem a favor do Estado o que não foi o caso.

‘’Não pagaram nada, só levaram os carros de volta’’- explicou-nos um dos munícipes daquela autarquia inteirado na matéria.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Petrobrás Biocombustível e Guarani vão produzir etanol em Moçambique

Empresas, que já têm uma usina de açúcar no país africano, assinaram nesta quarta acordo com a estatal Petróleo de Moçambique



SÃO PAULO - A Petrobrás Biocombustível e a Guarani, grupo sucroalcooleiro controlado pela Tereos Internacional, vão produzir etanol em Moçambique. As duas empresas assinaram nesta quarta-feira, 14, com a estatal Petróleos de Moçambique (Petromoc) um protocolo de intenções para produzir e comercializar etanol feito com melaço de cana.

A Guarani e a Petrobrás Biocombustível já são sócias de uma usina em Moçambique, a Companhia de Sena, com moagem de 1,2 milhão de toneladas de cana por ano. A usina, contudo, produz apenas açúcar.

O presidente da Guarani, Jacyr Costa Filho, explica que a destilaria de etanol será construída ao lado da usina já existente, aproveitando o melaço, atualmente vendido para produção de ração animal. Costa prevê que o protocolo de intenções será rapidamente transformado em parceria, em função da grande necessidade de combustíveis. "Moçambique importa 100% do petróleo que consome, o que afeta duramente suas divisas."

O executivo comparou Moçambique ao Brasil dos anos 80, quando a produção de etanol se intensificou em função da necessidade do País de reduzir suas importações de petróleo. "Existe um grande empenho do governo de Moçambique em implementar uma mistura obrigatória de 10% de etanol na gasolina para reduzir a dependência das importações", disse.

Além da Guarani, a África também está atraindo outros grupos brasileiros para produção de açúcar e etanol, em função principalmente de seu clima, benéfico para a planta, e do grande mercado consumidor regional. A Odebrecht possui uma usina em Angola, em parceria com companhias locais, que deverá ser encampada pela ETH, o braço sucroalcooleiro do grupo. No caso da Guarani, a presença na África também cria acesso privilegiado ao mercado regulado europeu.

Na safra atual, a Companhia de Sena, localizada na cidade de Marromeu, produziu 67 mil toneladas de açúcar, devendo atingir 75 mil toneladas em 2012/13. O protocolo de intenções prevê que o etanol será do melaço, um subproduto do açúcar. A estratégia é produzir o biocombustível sem afetar o crescimento da oferta de açúcar, produto em que Moçambique também é dependente de importação.

Aquisições. O executivo disse também que a Guarani tem um capital disponível de R$ 1,1 bilhão para realizar aquisições nas próximas duas safras. O objetivo é chegar em 2014/15 com uma capacidade de moagem de cana-de-açúcar de 24 milhões de toneladas. Na safra atual, foram processadas 16,3 milhões de toneladas.

Deste total, R$ 800 milhões referem-se ao capital da Petrobrás Biocombustível que ainda não foi integralizado na Guarani. A Petrobrás Biocombustível tem 31,4% de participação na Guarani, fatia que deve crescer para 45,7% quando o total de recursos for investido. Os outros R$ 300 milhões são de recursos da Tereos Internacional.

Segundo Costa, o crescimento não virá só de aquisições. Ele afirma que, até a safra 2014/15, das sete usinas atuais do grupo, três terão moagem acima de 4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, enquanto seis usinas terão cogeração de energia.

Costa prevê ainda um aumento do movimento de consolidação do setor em 2012. Segundo ele, a quebra da atual safra vai demandar elevados investimentos em recuperação, e que muitas usinas não terão condições de fazer. "Elas precisarão de recursos em um momento em que o crédito continua restrito."

Fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios%20energia,petrobras-biocombustivel-e-guarani-vao-produzir-etanol-em-mocambique,96055,0.htm#bb-md-noticia-tabs-1

Companhia do Sena pretende recomeçar a produzir açúcar em Luabo

2011-12-20) A produção de açúcar no Luabo, distrito de Chinde, na província central da Zambézia, deverá ser retomada em 2014, na sequência de um investimento de 200 milhões de dólares para a construção de uma nova fábrica e a plantação de cana-de-açúcar, afirmou o director-geral da Companhia do Sena.

Em declarações ao matutino Notícias, de Maputo, Pierre Chenet disse ainda estarem já a ser preparados os viveiros de cana-de-açúcar para assegurar a sustentabilidade do projecto.

A referida fábrica, uma das maiores do país, é dotada de várias infraestruturas, incluindo parques desportivos e condições para a pecuária.

O director-geral da Companhia de Sena precisou ao jornal que há alguns anos a firma iniciou a plantação de cana-de-açúcar em Luabo e que o produto, que tem sido colhido há duas campanhas, é transportado para Marromeu, o que implica custos avultados.

“Numa primeira fase vamos intensificar a criação de viveiros para que mais tarde possamos concretizar a construção da nova fábrica que poderá produzir até 120 mil toneladas de açúcar anualmente, tal como a capacidade instalada na unidade de Marromeu”, afirmou.

Na campanha prestes a terminar, a Companhia de Sena espera produzir 70 mil toneladas de açúcar a partir das 600 mil toneladas de cana produzidas numa área de 15 500 hectares.

Fonte: (macauhub)

Adenda:
A campanha 2010-2011 terminou na semana passada até ao momento não temos informação se, a Companhia de Sena atingiu a meta ou não.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Petromoc e multinacionais brasileiras rubricam acordo para a produção de etanol em Sofala

(2011-12-15) A Tereos Internacional informou que a sua subsidiária Guarani, a Petrobras e sua subsidiária Petrobras Biocombustível e a Petromoc (Petróleos de Moçambique) assinaram hoje, em Maputo, um protocolo de intenções para estudar a viabilidade para produção e comercialização de etanol no país.

A Tereos Internacional, por meio da sua subsidiária Guarani, é sócia com a Petrobras Biocombustível de uma fábrica de produção de açúcar em Moçambique, a Companhia de Sena, com capacidade de moagem de 1,2 milhão de toneladas de cana-de-açúcar.

Conforme o comunicado, o estudo procura analisar a possibilidade de investimentos para produção também de etanol com base no melaço actualmente produzido na unidade de Sena, centro de Moçambique.

"A expectativa é atender a um novo mercado que deverá abrir-se em Moçambique com a introdução da mistura obrigatória de 10% de etanol na gasolina (E10). Esta medida terá impactos positivos na redução da dependência de Moçambique por combustíveis importados, contribuindo para garantir a segurança energética no país", diz a nota.

Ainda de acordo com o comunicado, a produção de etanol poderá aproveitar as características naturais do país para promover o crescimento econômico de forma sustentável, gerando empregos nas regiões mais carentes do país. "O estudo alia a experiência da Petrobras na tecnologia da mistura de etanol à gasolina, bem como na comercialização e logística de derivados de petróleo e biocombustíveis, com o conhecimento da Petrobras Biocombustível e da Guarani na produção de etanol."

A Tereos ressalta que o protocolo também está alinhado aos planos do governo de Moçambique para implementação da sua política e estratégias de biocombustíveis, e da Petromoc para o desenvolvimento de um programa de mistura de etanol à gasolina, actuando na produção, comercialização e distribuição de etanol.

Fonte: RM


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Crocodilos, elefantes e hipopótamos não páram de matar na província de Sofala

Conflito homem-fauna bravia resulta em 28 óbitos em Sofala

… e governador Muária mostra-se preocupado

Crocodilos, elefantes e hipopótamos não páram de matar na província de Sofala, onde o balanço preliminar aponta para 28 óbitos registados oficialmente este ano prestes a findar. Este número é inferior em relação ao de 2010, que se situou em 41 pessoas que perderam a vida, devido ao conflito homem-fauna bravia. Este quadro negro é descrito como sendo deveras crítico e ao mesmo tempo preocupante, tal como sublinhou o governador de Sofala, Carvalho Muária, quando ontem intervinha após a chefe dos Serviços Provinciais de Florestas e Fauna Bravia, Maria Augusta Magaia, ter apresentado o relatório de 2011 na reunião de um dia, na cidade da Beira, que visava fazer o balanço da actividade de exploração florestal e preparação para a campanha de 2012.
“Temos que continuar a recolher os ovos e crocodilos. Há uma quota de abate destes répteis, não podemos falhar, porque não sabemos o número real de crocodilos que existem nas bacias hidrográficas do Zambeze, Púnguè, Búzi e Save, sobretudo, onde sabemos que continuam a matar as pessoas e não devemos permitir que esta situação prevaleça” – vincou Muária.
O ataque de crocodilos é mais acentuado no distrito de Marromeu, que detém 60 por cento dos 28 óbitos notificados na província de Sofala, de acordo com o governador, que pediu a colaboração de todos os operadores do sector de Florestas e Fauna Bravia para a mitigação da situação.
Carvalho Muária defendeu a necessidade de mitigação da situação de morte de pessoas, argumentando que o homem é um recurso mais precioso que existe no mundo e quando se perde uma pessoa, está-se a pôr em causa o desenvolvimento económico e social. “Quando se perde uma pessoa não se compara com um animal selvagem. Por isso, temos que defender para que não haja ataques por animais bravios” – frisou.

MEDIDAS DURAS PARA
OPERADORES FLORESTAIS

No entanto, o governador de Sofala lançou ontem um aviso aos operadores que não respeitarem o diâmetro recomendável para o corte da madeira, que sofrerão medidas duras. “Quem transgredir mais de duas vezes as normas vamos retirar a licença e nunca daremos mais” – alertou.
A nossa Reportagem apurou de Maria Augusta Magaia que o diâmetro recomendável é de 20 a 50 centímetros, dependendo da espécie da madeira a cortar.
“Toda e qualquer pessoa que formos a apanhar a não respeitar as normas, avisamos primeiro e aplicamos a multa e a segunda vez vamos chamar a atenção e vai receber a multa e a terceira vez apanha a multa e é lhe retirada a licença da concessão” – insistiu o governador de Sofala.

Fonte: DM http://www.diariomoz.com/index.php