quarta-feira, 3 de abril de 2013

Complexo de Marromeu: Gestão de recursos naturais

Maputo:: Notícias
O administrador daquela estância turística afirmou ainda que face as grandes pressões que os recursos naturais estão sujeitos, a Reserva Especial de Marromeu tem potenciado os seus esforços também na educação das comunidades locais no sentido de diminuir os índices da caça furtiva, queimadas descontroladas, corte ilegal das arvores, exploração ilegal das areias, saibro, papyrus, pescado e outras actividades ilegais, através de criação de mais novos comités de gestão, mesmo na consciencialização das comunidades no sentido de promover o desenvolvimento sustentável e na preservação de todas formas de legalidade perante aos recursos naturais.

Assim, no âmbito da implementação do Diploma Ministerial Conjunto n.º. 93/2005, de 4 de Maio, subscrito pelos Ministros de Turismo, Agricultura e de Plano e Finanças, mediante a Lei n.º 10/99, de 7 de Julho, que estabelece como benefícios às comunidades locais, vinte por cento de qualquer taxa de exploração florestal e faunística através do decreto 12/2002 de 6 de Junho, já foram criados 12 comités de gestão e dos quais oito já começaram a usufruir dos referidos 20 de exploração dos recursos naturais.

A Reserva Especial de Marromeu fez a entrega oficial através do governo do Distrito de Marromeu do fundo desembolsado pelo Ministério do Turismo no total de 1.274.868,58 (um milhão, duzentos setenta e quatro mil e oitocentos sessenta oito meticais e cinquenta oito centavos) para as comunidades residentes dentro ou na periferia das áreas de conservação para fins do turismo naquele distrito, nomeadamente em Safrique, Macuere, Miguguni, Salone Hermoque, Ngazi, Nhoucaca, Nhapitundu e a comunidade de Cine, desde que o processo começou em 2007.

A Reserva de Marromeu tem cooperado com os seus tradicionais parceiros como são os casos de IUCN, WWF, AWF, EWT, instituições académicas, nomeadamente UEM, UP, UCM, IAC, SAWC, CAWMM, UZ, NUL, Universidade de Natal, Universidade de Califórnia e outras instituições do estado como, por exemplo, MICOA, MINAG, MDN, MINT, Pescas, ME, MC e Governo Provincial de Sofala mediante a partilha de informação, capacitação técnica, pesquisa, cooperação no domínio de treinamento de recursos humanos, na troca de experiências e no apoio moral.

• António Janeiro

2 comentários:

Deixe seu comentario/sugestao